Quem somos

QUEM SOMOS

A Associação Vale do Taquari de Esportes (AVATES) é uma entidade parceira do Colégio Martin Luther na formação e manutenção de equipes de voleibol feminino de base.

Com sede na cidade de Estrela/RS -Brasil, nosso programa esportivo engloba ações que vão desde projetos sociais, passando por escolinhas de iniciação esportiva e equipes de competição de base.

Promovemos também eventos em prol do desenvolvimento da modalidade voleibol.

 

MISSÃO

“Desenvolver com excelência o voleibol feminino nas suas diferentes manifestações esportivas, contribuindo para o desenvolvimento da região e para a formação integral das pessoas envolvidas.”

 

VISÃO

Em 2018 a região ser reconhecida nacionalmente como a terra do voleibol feminino.

 

VALORES

– Organização;

– Cooperação;

– Credibilidade;

– Ética;

– Formativa;

– Excelência;

– Persistência;

 

APRESENTAÇÃO

O Colégio Martin Luther (CML), de Estrela-RS, mantém equipes de voleibol em parceria com a Associação Vale do Taquari de Esportes (AVATES), e é o principal nome no cenário do voleibol gaúcho, reconhecido nacionalmente pela qualidade do trabalho que realiza nas categorias de base desta modalidade. Contando com um trabalho de formação que vai desde a iniciação ao esporte e projetos esportivos/sociais até equipes de rendimento nas categorias de base, o CML/AVATES tem conquistado importantes títulos estaduais, nacionais e internacionais, e revelado uma significativa quantidade de atletas para as Seleções Brasileiras de base e para as equipes profissionais que disputam a Superliga Nacional.

Além das atletas de origem de Estrela e demais municípios de todo o Rio Grande do Sul, atletas de outros estados do Brasil vem a procura do Martin Luther e da AVATES no intuito de receberem a formação adequada para tornarem-se atletas profissionais no futuro.

 

HISTÓRICO DO VOLEIBOL DO CML E DA ASSOCIAÇÃO VALE DO TAQUARI DE ESPORTES

Historicamente o Colégio Martin Luther sempre foi incentivador das práticas esportivas, como pode ser percebido em um registro no livro dos 100 anos onde aparece a equipe de voleibol da escola datada de 1959. O tempo onde as atividades eram encaradas de forma amadora foi deixado para trás no ano 2000, quando a escola inovou e reformulou o trabalho que vinha desenvolvendo contratando uma nova equipe técnica, com os professores Rodrigo Rother e Sandro Tomazi (in memorian), liderados pelo coordenador Marcelo Sehn, o “Senão”.

Como o voleibol, junto com o basquete, são os principais esportes disputados nas Olimpíadas Nacionais da Rede Sinodal de Ensino (ONASE), evento de grande tradição na rede a qual o educandário estrelense faz parte, o direcionamento dos primeiros investimentos foram naturalmente para estas modalidades. Na época, as ações para desenvolvimento do voleibol eram divididas nos gêneros masculino e feminino. Já hoje, o trabalho estende-se somente ao feminino.

Mesmo o Colégio Martin Luther sendo uma entidade filantrópica e tendo um trabalho social sendo realizado na comunidade estrelense, muitas dificuldades eram encontradas para conseguir os recursos que alavancariam este novo programa esportivo. Assim, em 31 de maio de 2007 nasceu a Associação Vale do Taquari de Esportes (AVATES), uma entidade que criou novas perspectivas de busca de apoiadores e de evolução do trabalho que se realizava, inclusive aproximando a Prefeitura de Estrela, por intermédio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL), a qual também passou a ser parceira da instituição.

Com o sucesso da parceria entre CML e AVATES, vários títulos começaram a ser conquistados desde a esfera regional até a internacional. Além disso, a revelação de atletas para seleções gaúchas e brasileiras, como o maior exemplo Lucas Saatkamp, o “Lucão”, que hoje é um dos destaques da Seleção Brasileira adulta, multicampeã mundial, liderada pelo consagrado técnico Bernardinho.

 

QUADRO ATUAL

As equipes de competição das categorias de base Languiru/CML/AVATES/Pref. Estrela representam o Vale do Taquari nas mais diversas competições regionais, estaduais, nacionais e internacionais oficiais no voleibol feminino. Na atualidade, além das atletas provenientes da região, reveladas nos núcleos dos projetos sociais, atletas de vários municípios do Rio Grande do Sul buscam em Estrela uma melhor formação esportiva e uma oportunidade de desenvolvimento do seu potencial para tornarem-se atletas profissionais no voleibol. Podemos citar Horizontina, Santa Cruz do Sul, Pelotas, Porto Alegre, Novo Hamburgo, Santa Rosa, São Leopoldo, Lajeado, Arroio do Meio, Venâncio Aires, Bom Retiro, Caxias do Sul entre outros, como locais de onde atletas já partiram para vir integrar as equipes de Estrela.

O alcance da fama como pólo formador de atletas para o alto nível atravessou as fronteiras do nosso estado, atraindo atletas de Santa Catarina, São Paulo, Goiás, Tocantins, Pernambuco e Mato Grosso do Sul. Pode-se ressaltar que as Seleções Gaúchas e Brasileiras de base já vieram à Estrela realizar treinamentos e jogos em preparação para suas competições, devido a importância que o município representa e as possibilidades que trás ao desenvolvimento do voleibol. Seleções da Argentina, do Paraguai, Uruguai e Colômbia também já buscaram em Estrela um qualificado intercâmbio na preparação de suas atletas.

 

REVELAÇÃO DE ATLETAS PARA SELEÇÕES BRASILEIRAS

Além dos vários títulos, vale destacar o trabalho de formação, onde estão contabilizadas nos últimos anos várias convocações para as Seleções Brasileiras de base, nas categorias Infantil, Infanto-juvenil e Juvenil. As atletas que já participaram de treinamentos no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Voleibol em Saquarema, Rio de Janeiro, ou que defenderam o país em competições internacionais foram: Indianara Gonçalves, Júlia Hoss, Pauline Johan Rammé, Maria Nair Flores, Fernanda Grando Alves, Domingas Soares de Araújo, Carla Fell Reginatto, Paula Mohr, Nayara Cassimiro, Marina Scherer, Sabrine Wagner, Daniela Mors, Bárbara Krug, Samara Gonçalves (vôlei de praia), Amanda Sehn, Djuly Bengoechea Schmorantz, Letícia Scherer, Isamara Scheid, Victória Bersch, Sofia Ferrão, Paula Menegotto Panno, Mônica Seidel, Rafaela Sippel e Vitória Taborda.

Algumas representantes estrelenses tiveram fundamental importância nas disputas e conquistas dos Campeonatos Sulamericanos e Mundiais pelas Seleções Brasileiras de base. Como exemplos temos Carla Reginatto que recebeu o prêmio de destaque individual como “Melhor Sacadora” do Campeonato Sulamericano Infanto-juvenil de 2010, e Amanda Sehn que recebeu o prêmio de “Melhor Levantadora” do Campeonato Sulamericano Infanto-juvenil de 2014.

Do lado de fora das quadras o trabalho também é reconhecido. O professor Rodrigo Rother faz parte da comissão técnica das Seleções Gaúchas desde o ano 2002. Hoje é técnico da Seleção Gaúcha infanto-juvenil feminina, campeã brasileira em 2014. Já o técnico João Luis Klein é assistente técnico da Seleção Brasileira Juvenil e foi técnico da Seleção Brasileira nos Jogos Sulamericanos em 2013. Em 2015 foi vice-campeão mundial juvenil.

 

ESTRUTURA

As equipes de competição, voltadas para formação de atletas de rendimento, atendem aproximadamente 65 atletas, divididas entre as categorias mirim, infantil e infanto-juvenil e contam com uma estrutura que envolve serviços de treinamento, musculação, refeitório, alojamento, bolsa de estudos e parcerias com clínicas de fisioterapia, médica e de nutrição.

Além destas, também são atendidas nas escolinhas de iniciação e projeto social mantidos em parceria com outras instituições, aproximadamente 600 crianças que praticam voleibol voltado para a participação e a inclusão social.

Hoje fazem parte da equipe técnica o supervisor Marcelo Sehn e os técnicos Rodrigo Rother, João Luis Klein, Marco Espíndola, Bárbara Schinader e Alexandre Joanella.